O crescimento do Inbound Marketing e o declínio do Cold Call

Marcio Chleba
Marcio Chleba

Já é do conhecimento de muitos que os “cold calls”, normalmente, não apresentam os resultados esperados e acabam frustrando muitas empresas e seus profissionais. É realmente muito complicado você ligar para um possível cliente em potencial, sem que ele espere por esse contato, e a venda seja de fato concretizada.

Com a modernidade e um mundo onde as pessoas estão cada vez mais ocupadas e cheias de atividades no seu dia a dia, conseguir a atenção delas para que o seu produto ou serviço seja oferecido e ainda prospectar ali uma venda torna-se, como o ditado popular, “dar um tiro no escuro”.

Muitos clientes não gostam desse tipo de contato, pois o consideram “agressivo” demais. Alguns até ficam pensando: como esses caras conseguirem meu telefone? Já outros, dificilmente, fecharão alguma compra, já que entendem que numa ligação telefônica não foi estabelecida a confiança necessária.

E é por causa desse cenário que o Inbound Marketing vem crescendo. Ele consiste num conjunto de ferramentas que, atrelados à conteúdos de relevância, fazem com que o seu produto ou serviço seja encontrado pelos clientes, e não o contrário. É a forma de ganhar visibilidade exatamente nos canais da internet onde o seu cliente em potencial pode estar.

Atraia seus clientes sem ser invasivo

Como falamos acima, o perfil dos clientes hoje em dia, com a evolução da internet, canais de comunicação, exploração de conteúdo, celulares, tablets, entre outros, mudou. Os clientes dessas novas tecnologias querem ter a liberdade de navegar e procurar aquilo que lhes convém para esse ou aquele momento, e dificilmente ficam à vontade ao receber ligações telefônicas de venda.

O Inbound Marketing atrela o seu serviço ou produto à conteúdos. Como assim? Explicamos.

Um blog, por exemplo, é pensado com o intuito de fornecer conteúdos de qualidade e relevância para determinado público – os blogs que tem muitos acessos e são referências. E esse público tem tudo para ser seu cliente em potencial – claro, se esse blog, por exemplo, falar de assuntos que tenham a ver com o que a sua empresa ou marca oferece.

As ofertas diretas também podem ser exploradas. Ou seja, aqui você pode usar de testes gratuitos aos clientes, oferta de orçamento sem compromisso, demonstrações entre outras. Ou, ainda, as ofertas indiretas, como ofertas de ferramentas específicas, eBooks, materiais educativos e afins.

Mas, lembre-se: tudo de acordo com o que aquele blog ou site fala, pois é esse público que tem o hábito de visita-los.

Clientes nem sempre estão dispostos a comprar na hora

É fato que, uma pequena fatia dos clientes que teve contato com as suas ações, diretas ou indiretas de Inbound Marketing, estarão dispostos a comprar os seus produtos ou serviços naquele momento. Porém, isso não deve ser visto como algo desanimador, já que você estará “educando” esse cliente a lembrar do que você ofereceu, assim que ele precisar daquilo.

Nessa etapa você pode se utilizar de várias ferramentas para chegar ao processo mais aguardado de todos: a venda! Mas, como já falamos, ciente de que apenas uma pequena parte dos seus clientes vai fechar a compra naquele instante.

Seja através do e-mail marketing, mensagens promocionais, newsletter e afins. Todas elas destinadas ao foco principal, que são os compradores em potencial, seja em curto, médio ou longo prazo: profissionais específicos daquela área, pessoas que já acessaram o produto, mas não o compraram, entre outras.

Tendo em vista que o Inbound Marketing é quase 62% mais barato do que o marketing convencional, não é de se estranhar que muitas empresas têm aderido à essa metodologia, já que os resultados são mais fáceis de serem apresentados e também monitorados.

As ferramentas capazes de extrair mais informações dos leads têm feito do Inbound Marketing uma solução que, apesar de muito nova, tem alcançado resultados promissores e, diante das suas próprias possibilidades, pode ser explorado e evoluir cada vez mais.

Marcar presença nas mídias socias e onde a sua audiência (clientes) se encontra online não é apenas um passo revolucionário, mas vai de encontro ao entendimento de que, hoje em dia, a tendência é a de que cada vez mais pessoas buscarão as suas compras de serviços ou produtos através dos canais que elas têm maior simpatia e identificação.

E é lá que o seu produto ou serviço deve estar.

Marcio Chleba
Marcio Chleba
Marcio Chleba é sócio fundador da agência Chleba, atuou por 8 anos como professor de pós-graduação da ESPM e é autor do livro “Marketing Digital - Novas tecnologias e novos modelos de negócio”

Quero receber novidades!

Receba nossas dicas e informações e alavanque seus negócios. Sem spam, prometemos.