Só performance não dá boa performance

Marcio Chleba
Marcio Chleba

Antes de mais nada é preciso entender como funciona o marketing de performance e a sua importância dentro do marketing.

Ele é voltado inteiramente para os resultados. Ou seja, as mídias digitais conseguem processar e informar dados com maior facilidade e precisão, sejam eles sobre quantas vezes um cliente clicou em um anúncio, visualizou essa ou aquela publicação, colocou tal produto no carrinho de compras…

E a performance entra justamente nesse ponto, pois é ela que mostra esses números e, assim, possibilita aos profissionais de marketing entenderem as ações já executadas, planejarem outras, observarem problemas que possam ter ocorrido nesse processo e etc…

 

Ele é muito importante para as empresas, porém…

 

Vamos dizer que uma marca de sabonete anuncia seu novo produto na tv, num determinado canal e horário. Por mais que se tenha a informação de que aquele horário é líder de audiência, como a empresa terá certeza da quantidade de consumidores que viram o seu anúncio? Ou, ainda, quantos clientes foram, de fato, impactados por esse anúncio e, graças a ele, aumentaram o número da venda dos novos sabonetes?

A performance usa justamente essa facilidade no processamento dos dados digitais para gerir melhor esse tipo de campanha, por exemplo, acompanhando todo o processo de comunicação entra a empresa e os clientes, sabendo exatamente por onde ele (cliente) passou e em qual ponto desse trajeto pode ter ocorrido algum ruído – problema- para a conversão.

Todavia, lembra que usamos o “porém” no subtítulo? Então, muitas empresas estão investindo tudo o que podem no marketing de performance, esperando obterem o máximo de sucesso apenas com eles. Mas é necessário cuidado quando falamos sobre isso.

Quando essa crença de que o marketing de performance pode ser a única solução para centenas de promissoras conversões, o crescimento das vendas está automaticamente limitado em mídias de performance para o ROI desejado.

É muito comum encontrarmos empresas na seguinte situação: Se aumentam o investimento em mídia de performance, o ROI cai. E para manter o ROI desejado o investimento em mídia não pode ser incrementado, ou seja, as vendas ficam estagnadas. E isso não é nada bom.

Sempre que se analisa as campanhas de performance no Google Search, as palavras relacionadas à marca têm sempre a melhor performance. Porém, há um limite de investimento nestas palavras que está relacionado diretamente ao volume de buscas da marca.

Também aprendemos que a maior parte das vendas de mídias de performance é realizada para novos clientes e não para os que estão na base. Logo, para aumentar a performance é preciso implantar uma estratégia de fortalecimento da marca e de fidelização de clientes através de campanhas que não tem objetivo de gerar ROI de forma direta, mas que aumentam as vendas de tráfego direto, orgânicas e pagas relacionadas à marca ou produto.

Portanto, investimentos somente em campanhas de performance não garantirão a melhor performance de seu negócio. É necessário que haja um equilíbrio entre a análise dos dados que são gerados e a forma como a interpretação de outros fatores que envolvem uma venda também é aplicado.

Marcio Chleba
Marcio Chleba
Marcio Chleba é sócio fundador da agência Chleba, atuou por 8 anos como professor de pós-graduação da ESPM e é autor do livro “Marketing Digital - Novas tecnologias e novos modelos de negócio”

Quero receber novidades!

Receba nossas dicas e informações e alavanque seus negócios. Sem spam, prometemos.